terça-feira, dezembro 07, 2010

NATAL: O SIGNIFICADO DOS SÍMBOLOS NATALINOS




Impossível é não associar um pinheiro verdinho ao Natal, certo? E o que dizer dos vasos com bicos-de-papagaio vermelhos (Poinsettia)?

Mas você sabe o que significa cada um dos símbolos natalinos? E a razão de usarmos vermelho, verde e dourado na árvore?

Confira a seguir os significados de alguns símbolos do Natal:

As Cores

Não há Natal sem uma boa pitada de vermelho, seja na decoração ou mesmo nas delícias saboreadas em família. Mas se você acha que a cor aparece por causa do Papai Noel, se enganou. O vermelho simboliza o amor e a confraternização universal, tão valorizados nesta data.

O verde representa a natureza, exemplificado nos ramos do pinheiro, árvore resistente que presenteia a humanidade com frutos em abundância e floresce mesmo durante o inverno mais rigoroso.

O branco, é claro, simboliza a paz da humanidade. O dourado representa a ligação do ser humano com o universo astral e espiritual e lembra um dos presentes recebidos pelo Menino Jesus.

De uns tempos para cá apareceram outras cores no nosso Natal, como os tons de azul (que estão associados à luz divina, tendo ligação com o milagre das luzes do Chanucá) e o preto (que para os estudiosos das cores representa proteção). Contudo, é nas cores mais comuns que a tradição do Natal é reforçada.


As plantas


Muitas pessoas imaginam que o uso de poinsettias no Natal se deve ao fato da flor existir em abundância na nos Estados Unidos e nós termos "importado" o costume. Mas a verdade é que essa tradição vem do México.

Diz a lenda que uma menina muito pobre, não tendo com que presentear o Menino Jesus, colheu alguns ramos de uma folhagem e, tendo-os depositado com muito amor sobre o presépio, viu o milagre das folhas tornarem-se vermelhas e radiantes.

E o nome Poinsettia se deve ao primeiro embaixador americano no México, em 1825, John Poinsett, que popularizou a planta distribuindo-a entre amigos e enviando para jardins botânicos e criadores dos Estados Unidos. Mas esse não é o nome científico (Euphorbia pulcherrima), sendo que pulcherrima significa "a mais bela".




Por causa da sua resistência ao inverno e das cores vermelha e verde, o azevinho rapidamente foi incorporado às tradicões natalinas. Porém, o que poucos sabem é que esta planta já era utilizada na Europa muito antes do surgimento do Cristianismo e a sua difusão.

As folhas verdes que persistem entre as geleiras de inverno e os frutos vermelhos, carregados de esperança e promessa de alegria eram muito utilizados nos cultos pagãos.

Alegando idolatria, a Igreja proibiu a utilização das guirlandas e outros ornamentos. Para substituir, as pessoas passaram a usar ramos de azevinho para decorar as suas casas na época do Natal (que também coincide com os festivais pagãos do Solstício de Inverno).

As folhas pontudas e afiadas simbolizavam os espinhos na testa de Cristo e os frutos vermelhos, o seu sangue, derramado pela humanidade.


Comentários

Recomendados para Você