terça-feira, janeiro 11, 2011

CONDOMÍNIO: COMO ECONOMIZAR ENERGIA NAS GARAGENS




As garagens, pela sua extensão, geralmente representam o maior consumo de energia elétrica do condomínio.

Por este motivo, qualquer ajuda para evitar o desperdício neste local é bem-vinda.

Para economizar energia elétrica, a primeira dica, em qualquer ambiente, é aproveitar ao máximo a iluminação natural.

Por este motivo, novos projetos já contemplam as garagens externas, que, além de contarem com iluminação natural durante todo o dia, podem reduzir o impacto ambiental com a utilização de pisos sustentáveis e paisagismo integrado.

Contudo, esse não é o caso de boa parte dos edifícios e ainda predominam as garagens escuras e com iluminação ineficaz.

Os erros mais comuns:

Disjuntores controlam circuitos separados e há alternância no desligamento, provovendo pontos bem iluminados em detrimento de outros. Que atire a primeira pedra o(a) síndico(a) que nunca determinou esta medida.

Manobras imprecisas, acidentes na garagem e dificuldade na captação de imagens para o sistema de segurança são os principais problemas na adoção desta medida.

Lembre-se, o que queremos é combater o desperdício, sem causar transtornos à rotina dos condôminos. Portanto, esta medida, embora gere uma economia imediata na conta de energia elétrica não é uma boa solução.

Instalação de Sensores de Presença e Minuteiras que atendem toda a garagem ou setores específicos. Acreditando economizar pela simples adoção dos sistemas, muitos condomínios aumentaram o consumo de energia e o gasto com a substituição frequente de lâmpadas.

É que as lâmpadas fluorescentes consomem, apenas no start (ligar), a energia equivalente à uma hora de consumo regular. Por este motivo, a combinação de sensor + lâmpada fluorescente deve ser extremamente cuidadosa.

Mesmo a durabilidade das lâmpadas fluorescentes pode ficar comprometida em função da utilização conjunta dos sensores e minuteiras. Por este motivo, é recomendável utilizar somente lâmpadas incandescentes para sensores de presença e adotá-los apenas em halls, escadarias e ambientes com circulação restrita.


Atitudes que Economizam:

  1. Verificar constantemente as lâmpadas e substituir imediatamente as que apresentam pontos escuros. Este é um sinal característico de que a vida útil das lâmpadas está acabando e há a perda de luminosidade quando isso acontece. A lâmpada continua gastando o mesmo, mas a iluminação é menos eficiente. A manutenção preventiva é uma importante ferramenta contra o desperdício.
  2. Este escurecimento se dá com a evaporação do filamento de tungstênio (as partículas se desprendem e acumulam-se no bulbo e na superfície).  Além de oferecer menos luz, a lâmpada começa a reter calor.
  3. A pintura das garagens é um ponto que merece muitos cuidados. Embora os prédios mais antigos tenham garagens com colunas e pisos em cores escuras, sabe-se que esta medida prejudica a iluminação do ambiente. O ideal é que tenha paredes e pisos em cores claras. Uma dica é usar o branco nas paredes e uma tonalidade cinza ou azul claro no piso. Já as faixas e delimitações podem ser feitas com tintas refletivas ou fitas adesivas próprias para este fim.
  4. Rever as instalações, posicionando a iluminação de modo que a garagem tenha uma boa iluminação e que esta atenda todo o espaço. De nada adianta ter vagas iluminadas como um stand de vendas e outras em completa escuridão.
  5. Investir em sinalização refletora para garagens, como protetores de paredes e colunas com placas refletivas. Estes itens não consomem energia elétrica e, aliados à orientação para que os condôminos mantenham os faróis acesos nas garagens, ajudam a reduzir a necessidade de pontos de iluminação.
  6. Aproveitar a iluminação natural proveniente das entradas e aberturas de ventilação, evitando a sua obstrução com portas e janelas. Prefira portas e portões que permitam a passagem de luz natural.

Comentários

Recomendados para Você