segunda-feira, dezembro 12, 2011

DECORAÇÃO DE NATAL: PRESÉPIOS DIFERENCIADOS



Desde que São Francisco de Assis deu início ao costume dos presépios, em 1223, com peças de argila, uma manjedoura, um boi e um burro, para representar a cena do nascimento de Jesus aos camponeses, a tradição nasceu.

Igrejas e mosteiros passaram rapidamente a exibir presépios durante o período entre o início do Advento até o dia de Reis. No Renascimento, reis e nobres também adotaram a prática e passaram a exibir seus presépios (muitas vezes ricos e grandiosos).

E com o início do Movimento Barroco, em que a Igreja tentava se aproximar de fiéis de todas as origens e classes sociais, é que o costume se difundiu de vez, estendendo-se a toda a Europa e também às colônias do Novo Mundo. Com a popularização, além das tradicionais figuras, foram inseridas também figuras que representam a cultura popular regional.

No Brasil, o costume é bem antigo, pois os jesuítas foram os responsáveis pela montagem dos primeiros presépios.

Bem, poderia ficar falando sobre a história do presépio por vários posts, mas vamos ao que interessa: presépios bem brasileiros.


Palha de milho e côco. A simplicidade faz desse, na minha opinião, um dos presépios mais bonitos que temos. É comum vermos, também, uma cabaça cortada ao invés do côco.


Argila e muita inspiração nos presépios de Maragojipinho. Arte tradicional no nordeste, a escultura em argila representa a cena do nascimento de Jesus em várias formas.


Arte em palha de bananeira para representar a Sagrada Família e os Reis Magos.

Comentários

Recomendados para Você