quarta-feira, julho 11, 2012

DECORAÇÃO: COMO COMBINAR BANCADA DE GRANITO





Respondi a uma pergunta super interessante lá na Comunidade Casa Claudia, sobre compor a bancada da pia em granito com o piso. 

O assunto gera muitas dúvidas mesmo. Então resolvi preparar esse post, com algumas dicas e combinações possíveis. 

Para começar, tenha em mente que a denominação da pedra muda conforme a pedreira em que é retirada. E ainda que as pedras tenham o mesmo nome, não serão necessariamente iguais, exceto se forem da mesma jazida.

O jeito certo de comprar pedra:  Vá à uma marmoraria de confiança, escolha a pedra inteira, como na foto abaixo, e só então encomende. Seja para piso, bancada ou revestimento de parede, isso garantirá um padrão contínuo e uniforme e evitará que você seja enganado com pedras com remendos de massa plástica (sim, infelizmente, tem desonesto que faz isso). 




Tom Dominante: Em uma marmoraria, você observará que as maioria das pedras tendem para esses tons: cinzas, verdes, beges ou amarelos, marrons e pretos. Existem, também, os granitos e mármores em que predominam o azul, vinho e vermelho. São pedras mais caras e mais raras.




Revestimentos cerâmicos brancos e beges são neutros: compõem super bem com granitos de todos os tons. Mas é preciso atenção no caso dos beges, evitando aqueles com uma carga muito amarelada e optando pelos off white (tipo um branco "suijinho").


Observando os veios e desenhos da pedra: Lembra daquela combinação de uma peça lisa e outra estampada? Para escolher as pedras, uma forma de não errar é evitar "juntar" num mesmo ambiente pedras de veios muito destacados, revestimentos muito estampados e combinações de cores. 

Assim, se você pretende usar um mix de pastilhas coloridas na parede da pia, opte por uma pedra que tenha um aspecto mais uniforme, se muitos veios e desenhos. Uma combinação de ladrilhos estampados também será mais valorizada se a pedra não for tão chamativa. 


Contrastes são bem vindos: É claro que existem pessoas que preferem um ambiente monocromático. E essa dica não vale para eles. Mas criar um contraste claro-escuro e vice-versa entre a pedra e o entorno deixa o ambiente mais bonito. 

Sem blá-blá-blá, é mais fácil demonstrar com exemplos:


Branco


Branco polar, branco dallas, aqualux, branco ceará, branco siena, ocean, etc. Essas são algumas das muitas denominações dos granitos brancos. Apesar de serem chamados de brancos, muitas vezes o que se observa é que eles tem uma tonalidade acinzentada clara, que os torna fácil de compor, sendo um dos poucos que "vai com tudo".

Aceitam a companhia da maioria das cores, sendo que com o branco, off white, tons de vermelho e bordeaux, cinza chumbo e preto, formam composições certeiras, sofisticadas e elegantes. 

Podem acompanhar revestimentos cerâmicos e pastilhas de vidros, cimento queimado queimado, pastilhas de metal e espelhos, laca e vidros coloridos, para compor ambientes bem contemporâneos.

Use sem medo em ambientes com decoração mais rústica, especialmente com madeiras de demolição, pastilhas de côco, macieira e outros elementos naturais.  Nesse caso, evite apenas as tonalidades muito claras e invista no contraste.  

Também forma um contraste bonito em ambientes em que predominam pisos e revestimentos de parede mais escuros.



Cinza

Sabe aquela cozinha branquinha com a qual todo mundo sonha? Escolher um granito cinza não tem erro. Cinza andorinha, corumbá, corumbazinho e itabira são algumas das denominações mais comuns. 

Com certeza essa é uma das pedras mais indicadas para a bancada da cozinha, pela praticidade da limpeza e durabilidade. Ao contrário das tonalidades mais claras que mostram quando estão úmidas, os tons cinza tem pouquíssima alteração de cor.

Compõem bem com a maioria das cores e é uma ótima companhia para aqueles ambientes em que predominam revestimentos de parede e pisos brancos, sólido ou com veios. 

Para os armários e móveis da cozinha com uma bancada nessa tonalidade, o branco e as madeiras em tons mais claros formam boas parcerias.

Estão entre as mais econômicas.


Amarelo ou Bege

Amarelo Ornamental, Amarelo Santa Cecília, Amarelo Vitória são alguns dos tipos e denominações mais comuns.

São uma boa opção para cozinhas com madeiras mais avermelhadas como o cerne, jatobá e o mogno e ambientes em que predominam revestimentos de parede e piso que tendem para o bege e o off white.

Você vai observar que há muita diferença de tonalidade entre eles, sendo que algumas variedades tendem mais para o marrom, e são portanto, mais fáceis de combinar com tonalidades com o verde, o vermelho e o amarelo. 

Os mais amarelados podem ser usados sem medo em ambientes neutros. 


Preto

Bem, preto é preto e ninguém tem muitas dúvidas sobre como criar composições com o preto. 

Mas é interessante destacar que, no caso das pedras, o preto sólido é muito difícil. Geralmente, as pedras tem veios e desenhos que precisam de cuidado ao serem combinados a outros revestimentos. Os mais comuns de encontrar são o preto São Gabriel e o Absoluto. 



O granito preto forma uma boa composição com todas as madeiras claras e - com desenhos mais uniformes - pode compor ainda com outras variedades de granito

Aqui em casa mesmo, tenho essa experiência, pois já existia na cozinha um piso de granito de boa qualidade - na cartela dos amarelos e beges - e como seria impossível encontrar um "igualzinho" para compor a bancada, usei o Preto São Gabriel.


No banheiro, a mesma coisa, porém um piso cinza. A escolha foi uma bancada em Preto São Gabriel.




Verde, Azul, Marrom, Vinho, Etc.


Eles existem, são lindos e muitas vezes preteridos. Primeiro, em razão do preço, pois são realmente mais caros. Segundo, porque muita gente tem dúvidas na composição, já que eles tem desenhos e veios bem destacados.

Em ambientes neutros, não tem erro. Revestimentos de parede brancos, acetinados e sem detalhes são boa opção, da mesma forma os pisos neutros.

Cozinhas brancas, sem detalhes, bem contemporâneas, em que predominam vidro e metal também formam ótimas combinações. Portanto, são ótimas escolhas para quem não quer errar.

É interessante destacar que os tons verdes são bem frios e, muitas vezes, se confundem um pouco com o preto. Menos chamativos, também não são difíceis de compor com várias tonalidades de madeiras. 




Dica: A pedra é um material natural. Portanto, há muita variação nas cores, nos tons e nos desenhos. Por isso, caso queira combiná-la a um revestimento já existente no seu ambiente, a melhor forma ainda é levar uma amostra e colocá-la próxima. Só assim você terá realmente a ideia de como ficará. 

A seguir uma galeria com quase 200 fotos de cozinhas, para inspirar e ajudar na escolha:




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...