quinta-feira, setembro 13, 2012

DECORAÇÃO: A HISTÓRIA DO ESPELHO VENEZIANO





Você também é do time que ama-adora-idolatra os espelhos venezianos? Eu também.

Para entender mais fácil porque os espelhos venezianos são tão apreciados, é preciso voltar um pouquinho no tempo. 

A história dos espelhos começa bem antes de Cristo, quando eram feitos em metal e no formato redondo, geralmente, o bronze e a prata altamente polidos. 

Apesar do vidro soprado ter sido utilizado pela primeira vez em 1400 a.C., os espelhos que levavam esse material não podiam ser usados durante toda a época medieval, por questões religiosas. Acreditava-se que o Diabo poderia ver através dos espelhos feitos de vidro e apoderar-se das almas. 

Por isso, foi só no final do século XIII, que os venezianos desenvolveram a técnica do espelho plano, ao combinarem em uma só peça o vidro, ouro, cobre, prata e estanho (vidro com fundo metálico). 

Tal mistura "mágica" conferia aos espelhos o poder de deixarem tudo muito mais bonito do que na realidade. Por isso, um espelho veneziano, nessa época, chegava a custar o mesmo que um navio.

Luis XIV chegou a determinar o suborno de artesãos venezianos para, com a receita "mágica" poder construir o famoso Salão dos Espelhos, no Palácio de Versailles.

Felizmente, desde a Revolução Industrial, os espelhos começaram a ser produzidos em larga escala e com preços mais acessíveis. Ufa, ainda bem...


Mas ainda assim, os espelhos decorados, com molduras finamente trabalhadas, bisotê, apliques e recortes fascinam e acabaram por dar nome a um estilo próprio de espelhos produzidos com a aparência daqueles que, atualmente, estão restritos aos grandes palácios, museus e colecionadores.  




















Imagens: 12345678

Comentários

Recomendados para Você