quinta-feira, outubro 17, 2013

Quem sabe, faz. Quem não sabe, copia!



Quem acompanha o blog, sabe que sou bastante "relax" quando o assunto é cópia dos textos que publico e redijo para postar aqui.

Estes textos são fruto do meu trabalho, de anos conhecendo materiais e produtos, de pesquisa, com informações detalhadas e, na imensa maioria das vezes, com opiniões pessoais, porque um blog é uma coisa pessoal. 

Por isso, geralmente, peço para tirar, escrevo um e-mail - atendido em 99% dos casos - e o assunto encerra. Não divulgo o nome, porque penso que erros acontecem e não vejo, mesmo, maldade. 

Muitas vezes, as pessoas só querem mesmo compartilhar o que é legal e só não sabem a forma correta. 

Há um bom tempo, tenho instalado no blog o Blog Copy, que indica exatamente quais os textos que foram copiados e quantas vezes foram, assim chego aos sites que têm textos meus em duplicidade.




Nem sempre tenho tempo, mas quando posso, vejo quais os textos que foram copiados, visito os blogs e sites e faço um contato, indicando que essa forma de compartilhamento não é legal. 

E não é legal porque quem reproduz texto é penalizado pelos sistemas de buscas. Ou seja, o google sabe quem postou o texto pela primeira vez e joga as cópias nas últimas páginas dos seus motores de busca. Resumindo: se você vende alguma coisa e faz isso, a internet não te ajuda. 

Bem, mas vamos aos fatos:

No dia 29 de janeiro de 2.013, publiquei um texto com O NOME CERTO DE CADA LUMINÁRIA, explicando as diferenças entre lustre, plafon, pendente e outros tipos de luminárias.



Fiz isso porque as pessoas realmente ficam confusas na hora de explicar a peça que pretendem. Fiz isso porque conheço todos elas, aprendi ao especificar, em cursos de luminotécnica, enfim, pesquisando e estudando. 

As imagens são de uma empresa parceira, na qual já adquiri itens para projetos e até para a minha própria casa, que conheço, confio e sei que os produtos têm boa qualidade. 

Este post foi amplamente compartilhado, inclusive pelo Portal Casa, por outros sites e blogs e aparece na primeira posição do google, inclusive com a minha foto, porque este blog tem um autor identificado e que se responsabiliza pela informação que divulga


Pouco tempo depois, antes mesmo de consultar o Blog Copy, um leitor do blog, que reside na mesma cidade da empresa e trabalha na área de arquitetura, enviou-me um e-mail relatando que uma loja do Rio Grande do Norte, tinha copiado esse texto e divulgado em seu site, como de sua autoria. 


Não vou dar link e nem visita através desse post, mas é uma empresa que atua no comércio de luminárias e correlatos. 


Ainda pôs chamada para o texto - aquele que publica fingindo ter redigido - no facebook. 

Bem, infelizmente, não contei com o bom senso, nem com a ética e nem com a decência dos gestores desse site. Apesar de meus insistentes pedidos, o meu texto continua lá, reproduzido sem minha autorização. 

Curioso é: Usou imagens do concorrente (as luminárias são da Puntoluce). Na fan page da empresa, um pendente é chamado de lustre, fora o total amadorismo que ainda coloca o endereço da rua sem a cidade. O cliente deve ter de adivinhar onde eles vendem. Ou talvez nem existam...

O tal site/blog não é hospedado pelo Blogger ou pelo Wordpress, onde as denúncias de violação de direitos autorais são analisadas e respondidas (já denunciei várias reproduções indevidas e todas foram tiradas do ar). É pelo UOL, uma empresa que apesar de divulgar que segue política anti-spam e  respeita direitos autorais, sequer respondeu meu e-mail e não tirou a página do ar. 

Bem, mas vamos em frente. Não é uma cópia que vai me matar. O Cores da Casa continua em primeiro lugar na pesquisa, o fulano que copiou é um Zé Mané que não sabe nem diferenciar os produtos que diz trabalhar, precisou copiar de outro.

O que me espanta de verdade, é que esse tipo de coisa não parte de quem montou um blog para distrair. Parte de gente que se diz profissional da área. Arquiteto que publica em jornal da cidade, comércio de luminárias, portais de jornais... Que vergonha!!

Gente, se uma pessoa que diz trabalhar com iluminação precisa copiar um texto de outro lugar para explicar o que é um lustre, que confiança é possível ter no trabalho desse profissional?

Quem garante que ele saberá identificar a peça que o cliente quer, o tipo de lâmpada mais adequada ao lustre que vende e oferecer as informações para seu cliente de uma forma segura?

Muito triste. Lamentável. Por isso, mais importante que a questão da cópia indevida e um conselho que dou é: CONSULTE. 

Confronte as informações que você recebe, cheque serviços, empresas, órgãos, clientes antigos, porque você pode estar sendo enganado por alguém que simplesmente copia.

Site bacaninha não é nada. Muitos são montados assim, na base do CRTL C + CTRL V. Quem não respeita direitos autorais, esquece, não respeitará cliente nunca!

De uma empresa que não sabe explicar o que é um lustre com suas próprias palavras, mesmo se dizendo líder, eu não compraria sequer uma vela!


P.S.: editado para retirar as imagens com print das páginas, porque a intenção É NÃO DAR LINK MESMO PARA EMPRESA SAFADA.


Comentários

Recomendados para Você