segunda-feira, outubro 21, 2013

Uma nova fase: de apê para casa



Sumiço geral no blog, né?

Estou em falta, mas é por um bom motivo: mudança.

A ideia inicial era fazer um monte de posts falando dessa fase tão gostosa, mas cadê tempo?

Providências burocráticas relativas à casa atual e os preparativos para o novo lar, consomem muito tempo (coisa que eu já andava sem) e é o blog que acaba sendo penalizado. Mas prometo dar uma passadinha aqui de vez em quando para contar todas as novidades. 

O sábado foi efetivamente o nosso primeiro dia na nova casa, ainda não morando, mas já ajeitando as coisas aqui e ali, fazendo levantamentos medições, etc.

Aproveitei também para conhecer alguns dos novos vizinhos, que são uma simpatia só:



A mudança nesse caso é geral: de cidade, de bairro, de apartamento para casa e uma mudança, principalmente, na nossa forma de vida e hábitos. 

Moramos em um bairro bacana, legal, com uma infraestrutura completa, em que as coisas do dia a dia são muito práticas por conta da relativamente pequena distância. 

Mas o trânsito e os problemas típicos de uma cidade grande como São Paulo afetam todos nós. Marido enfrenta diariamente 2 a 3 horas de trânsito no trajeto para a empresa e para os clientes (ele viaja bastante justamente para a região que escolhemos morar), eu também enfrento trânsito direto e tudo é super lotado, além do custo de vida que é absurdo, ou melhor, o custo São Paulo, tudo aqui é mais caro.

Agora, com as crianças maiores, passamos a ver também o quão confinados eles são. Nos finais de semana em que não viajamos ou saímos, ficam o dia inteiro de pijama sem gastar energia. Quando somos muito jovens, uma cidade grande, cheia de trânsito e gente nos parece muito atrativa, mas à medida em que o tempo passa, essas coisas são justamente as que mais nos cansam. 

Lembrei, então, de uma coisa que meu pai sempre falava: não quero envelhecer em São Paulo. Vejo diariamente meus avós comentando sobre o arrependimento de não terem se mudado para uma cidade mais calma e menor quando eram mais novos. 

Levando muita coisa em consideração, começamos a buscar o nosso novo lar em cidades próximas a São Paulo, porque, afinal, uma parte da nossa vida e família ainda estão aqui.

Desengavetamos um antigo projeto e acabamos encontrando a nova casa a 70 km de São Paulo. Ao invés do contorno da Serra da Cantareira e prédios à frente, a vista da janela agora são árvores. O barulho dos carros dá lugar à serenidade do lago e água corrente de um riachinho que passa atrás do condomínio. 

Aí já me perguntaram se eu vou acostumar. Eu, tão urbana, acostumada a matar os "leões" da cidade grande, andar de lá para cá, sem medo. E eu respondo com uma pergunta: quem não acostuma com o que é bom?


Fiquem ligados, porque nem tudo será tão bucólico quanto esse lago. Trarei muitos posts com dicas, mudanças, renovações e tudo o que estamos fazendo no novo lar. 

Beijos




Comentários

Recomendados para Você